Nessie: o verdadeiro tesouro da Escócia!

Contadores...

Assinar Feed Assinantes

Seguir no Twitter Seguidores

Artigos publicados Artigos

Comentários recebidos Comentários

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

A maldição do Porsche de James Dean...

Em 30 de setembro de 1955, James Dean, o "Golden Boy", como era chamado, morreu aos 24 anos em um acidente automobilístico a bordo de seu Porsche 550, no auge de sua carreira. Mesmo após mais de 50 anos depois de sua partida, James Dean até hoje leva as mulheres ao delírio, astro de filmes famosos como "Reb...eldes sem Causa" e ídolo de toda uma geração.

O Porsche 550 de James Dean tratava-se de um dos carros esportivos mais conhecidos da história, com motor de 4 cilindros e 1500 cilindradas, com 100 cavalos de potência.Os fãs se negam a acreditar no desaparecimento do ídolo e dizem que ainda está vivo, mas teria ficado desfigurado depois do acidente.

O que de fato aconteceu após o acidente foram incidentes estranhos com os donos das peças que restaram do carro de Dean. Mortes, acidentes raros e, o mais absurdo de tudo, o Porsche 550, apelidado por Dean de "Little Bastard", simplesmente desapareceu.

Dean iria participar de uma competição e queria ter uma idéia de como o carro se comportaria na hora de enfrentar seu primeiro desafio na estrada. Mas seus amigos já o haviam advertido sobre o perigo que iria correr ao dirigir uma máquina de grande potência.

Acompanhado por um amigo, Dean bateu em um Ford Custom Tudor modelo 1950, que vinha na direção oposta. O acompanhante de Dean quebrou uma perna e sofreu contusões múltiplas e cortes por todo corpo, mas o astro morreu a caminho do hospital. O motorista do outro carro pouco se machucou e declarou que não viu o carro de Dean se aproximando de frente.

Mas a tragédia não acabou com a morte de Dean.Ao redor dos restos desse Porsche tem ocorrido uma série de histórias que sempre levam a mesma questão.

A companhia de seguros vendeu o que restou do carro; foi então que começaram as sucessivas tragédias: George Barkuis, o motorista que dirigia o caminhão que foi buscar o carro "destroçado", morreu quando o Porsche caiu sobre ele no mesmo lugar do acidente.

Um especialista em carros para Hollywood chamado George Barris comprou o carro por US$ 2 500. Quando o carro chegou à garagem de Barris, ele deslizou e caiu sobre um dos mecânicos que o descarregavam, quebrando suas pernas. Com muito medo, Barris começou a separar as partes do carro que poderiam ser revendidas, o que não seria difícil. Barris afirmou que nunca teve boas sensações perto do 550, pelo contrário, mas acreditava que eram apenas superstições.

Mas suas suspeitas se confirmaram em outubro de 1956, quando a pessoa que havia comprado o motor do carro de Dean (Troy Mc Henry, um médico de Beverly Hills) morreu ao usá-lo pela primeira vez em seu carro. Logo depois, outro de seus clientes - William Eschrid, que comprou o câmbio do veículo - bateu o carro violentamente, mesmo assim sobreviveu e contou que seu automóvel simplesmente travou bruscamente sem explicação.

As rodas foram vendidas a um jovem que uma semana depois se envolveu em um acidente devido a um defeito nas rodas que pertenceu ao Porsche de Dean. Em uma corrida internacional, um menino tentou roubar o volante do Porsche de Barris (que antes foi de Dean) e cortou o braço.
Tentando se livrar da má sorte do carro, Barris emprestou para a polícia da Califórnia o que restava da carroceria do 550, para utilizá-la como exemplo da imprudência no trânsito. Antes que as autoridades o levassem, a garagem onde estava guardado pegou fogo e misteriosamente o Porsche de Dean se salvou, ao contrário do resto dos carros estacionados no local que ficaram completamente destruídos com as chamas.

No dia em que o carro foi colocado em uma exposição em Sacramento, caiu do estande e machucou um adolescente. Quando o carro foi transportado para uma exposição próximo da cidade de Salinas, o caminhão patinou na pista e bateu. O motorista morreu.

Em 1958, Barris emprestou a carroceria do Porsche 550 para ser exposta em uma amostra sobre segurança veicular em Miami, Flórida. Quando o carro foi colocado em cima do caminhão para ser levado a Los Angeles desapareceu misteriosamente. Nunca chegou ao seu destino. Até hoje o paradeiro do "Little Bastard" é desconhecido por completo.

A sorte do acompanhante de Dean também não foi a melhor. Em 1981, Wuetherich morreu em um acidente automobilístico na Alemanha, quando dirigia um Honda.

Texto de
Diego Vieira
Administração Imagens Históricas
 
Fotografia realizada poucas horas antes de sua morte
 
 

2 comentários:

Marcela disse...

Oi Miriam! Saudade de vc!
Agora lá no Mulherices tem posts sobre livros, acho q vc pode gostar. Mil beijos Marcela

Mirian Fidelis Guimarães disse...

Olá Marcela... Quanto tempo, já havia visto as postagens dos livros sim, mas é que não tive tempo de comentar, soube de sua coluna também em um site... PARABÉNS!!!
Nunca mais fiz nenhum comentário rs... Prometo que voltarei sim a comentar, adoro seu blog... Saudades, beijo!!!