Nessie: o verdadeiro tesouro da Escócia!

Contadores...

Assinar Feed Assinantes

Seguir no Twitter Seguidores

Artigos publicados Artigos

Comentários recebidos Comentários

English French German Spain Italian Dutch
Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified
By Ferramentas Blog

quinta-feira, 17 de março de 2011

Como surgiu o absorvente???

Bem, hoje acordei com esta pergunta e decidi perguntar para meu amigo Google como este pequeno e revolucionário amiguinho "daqueles dias" nasceu...
É certo que na época de 1920 a mulherada usava um paninho revestido com ervas para ajudar a conter o fluxo, imagine na época que elas moravam na caverna...


Em algumas tribos indígenas, as mulheres ficavam longe dos olhos dos demais, isoladas, sentadas em uma espécie de ninho onde o sangue era absorvido. Já imaginou só???
Algumas faziam almofadinhas com esponjas marinhas dentro, no Egito elas utilizavam folhas de papiro amaciadas e as gregas usavam um pedaço de madeira envolto em linho, estes eram os absorventes internos da época... Em Roma elas usavam lã, no Japão papel e na África rolos de ervas.

Bem, no início do século XIX as mulheres faziam "trouxinhas" com algodão e outros tecidos, mas não eram descartáveis e elas lavavam para utilizar novamente... Se por acaso estivessem viajando, elas guardavam a trouxinha suja e em casa queimavam. Neste mesmo século, mas no final surgiram os primeros absorventes, mas por falta de divulgação não foi para frente...
Só na segunda Guerra Mundial que as enfermeiras descobriram que se fizessem absorventes com gaze e algodão cirúrgico eles absorviam cinco vezes mais que a "trouxinha". Eram as enfermeiras da Cruz Vermelha...


Bom, nos anos 20 os primeiros absorventes tiveram certa divulgação em revistas femininas, eles eram presos na cacinha por alfinetes, ou, por um "cinturão sanitário" que nada mais era do que uma cinta elástica colocada em volta da cintura...


A empresa Kimberly Clarck colocou a venda o primeiro absorvente, mas a mulherada morria de vergonha de comprá-o na frente de todo o munod, achavam que estavam dontes quando menstruavam, então inventaram um sistema de caixinha, onde elas depositavam o dinheiro em uma caixa e o pacote saia sem estar escrito nada...
Existiu também o "avental sanitário" que era grande, pesado e super quente! Nem imagino como possa ter sido...
Achei o modelo!!!!

Em 1936 o Dr.Earl Cleveland Haas criou o Tampax, primeiro absorvente interno, mas as mulheres tinham medo de perder a virgindade e descartaram este absorvente...


Nos anos 70 e 80 tiveram muitas evoluções abolindo de vez os alfinentes quando surgiu o absorvente com fita adesiva e FINALMENTE pode fazer divulgação do produto na televisão!!! EBA!!!


Bem, quem quiser saber mais é só entrar no site do Museu da Menstruação e divertir-se com os modelitos...



PS: MULHERADA, somos privilegiadas não é mesmo???




Adoro os livros da Agatha...

Não sei se com vocês acontece a mesma coisa, mas todas as vezes que termino de ler um livro fico meio triste rs... Verdade!!! Não é tristeza, mas sabe, você se familiariza com as personagens e quando termina dá um vazio momentâneo...
Já li todos os livros do Arthur Conan Doyle, o criador do Sherlock Holmes e senti a mesma coisa...
Um leve aperto no peito... Loucura? Acho que não... É por isso que leio o mesmo livro várias vezes depois... De certo tempo, claro...

Acabei de ler dois livros da Agatha Christie "O Natal de Poirot" terminei agora e "A Mansão Hollow" ontem na parte da tarde... Estava lendo os dois ao mesmo tempo rs...
E são simplesmente fantásticos...
AMO os livros da Agatha já li muitos, mais de trinta, bem mais... E simplesmente todos são excelentes, nem sei qual deles é o meu preferido, acho que "A Noite Das Bruxas" ou "O Cavalo Amarelo", "Os Elefantes Não Esquecem", "A Casa Torta", "Um Gato Entre Os Pombos" "O Caso Dos Dez Negrinhos", "Depois Do Funeral", "Treze À Mesa", "Cem Gramas De Centeio", "Noite Sem Fim", "Um Pressentimento Funesto"... Bem, li outros, mas não lembro de imediato.
Sim, a Rainha do crime escrevia livros interessantíssimos, tecia enredos engenhosos, um verdadeiro quebra cabeças...
Este ano faz exatamente 35 anos sem nossa querida Agatha Christie, felizmente ela deixou um pouquinho dela em cada pedacinho de suas tramas....
Quem nunca leu nenhum livro dela está perdendo tempo!!!